Paróquia Nossa Senhora Mãe da Divina Providência

O Cristão e a Cidadania

24/05/2014 00:10

   (Por Myrian Rios -  Evangelizadora e  Deputada Estadual )

 

        Queridos amigos e amigas

        Paz!

 

        O Evangelho de Jesus Cristo nos ensina que vidas têm que ser transformadas, vidas estas que mudam a realidade na qual está inserida.

        Trabalho, família, escola, comunidade, vizinhos e paróquia. 

        Jesus afirma, em João 17,16, que seus discípulos não são deste mundo, assim como Ele próprio não era. Afirma também que enviou seus discípulos ao mundo como Ele próprio fora enviado (João 17,18) – e isso inclui todos nós (João 17,20). 

        Estamos no mundo vivendo, trabalhando, sofrendo, educando, aprendendo e ensinando para, por meio de nossas atitudes, dar frutos de conversão e salvação.  

        Em nenhum momento Jesus ensinou a divisão do mundo, na verdade Jesus dá um sentido todo especial para a vida dos cristãos que, mesmo não sendo deste mundo, estão no mundo para serem sal e luz.

        Ser sal da terra e luz do mundo, na visão do Evangelho, tem uma dimensão social muito importante, pois implica em sermos igreja, homens e mulheres que transformam a sociedade por meio do resgate dos valores e padrões bíblicos.

        Fomos reconciliados com Deus por meio de Jesus Cristo, e feitos cidadãos dos céus. Ao mesmo tempo, ainda temos uma cidadania terrena, uma nacionalidade, pagamos impostos, escolhemos os nossos governantes e tudo mais.

        Mas como viver de maneira equilibrada nesses dois mundos? Devemos nos empenhar, cada vez mais, em promover a PAZ e a SOLIDARIEDADE, para a construção de um mundo justo e fraterno, alegre e irmão.

        Gosto muito do que disse Diogneto, na sua carta escrita acerca do ano 120 d.C. Diz ele:

        "Os cristãos não se distinguem dos demais homens, nem pela terra, nem pela língua, nem pelos costumes, nem vivem uma vida de natureza singular..."

        Habitando em cidades conforme coube em sorte a cada um, e seguindo os usos e costumes das regiões, no vestuário, no regime alimentar e no resto da vida, revelam unanimemente uma maravilhosa constituição no seu regime de vida político-social. 

        Sim, meus queridos irmãos, somente pensando no verdadeiro cristão podemos pensar como cidadãos.

        Eu não tenho dúvidas de que a sociedade necessita cada vez mais de demonstrações de cidadania, como o verdadeiro amor ao próximo, a consciência de espaço que cada um de nós ocupa nessa sociedade, as demonstrações de cidadania que damos dentro de nossas casas, com nossos filhos, pais, irmãos. 

        Mas o verdadeiro cristão é um cidadão evangelizador.

        Então sejamos estes cidadãos! 

        Deus nos quer homens e mulheres de fé para melhorar o mundo em que vivemos.

 

        Deus os abençoe

 

Pesquisar no site

Contato

Equipe de Comunicação